Maria José foi vista na vila Maria Isabel; helicóptero Águia auxilia nas buscas

Surgiu uma informação que pode auxiliar os policiais a chegarem ao paradeiro da senhora Maria José da Silva Floter, de 73 anos (foto abaixo), que está desaparecida desde a tarde de sábado, dia 24 de setembro.

Vítima doença de Alzheimer, que a deixa desorientada, ela deixou sua residência, na vila Santa Cecília, no sábado, por volta das 14 horas, e não foi vista mais.

Familiares estão angustiados com a demora, mas ainda demonstram fé e esperança de encontrá-la.

Na tarde desta sexta-feira, dia 29, serão seis dias desde a data do desaparecimento.

O desespero aumenta por conta de Maria José estar sem receber as medicações para as doenças de Alzheimer, hipertireoidismo e depressão nesse período.

Na noite desta quinta-feira, dia 29, uma moradora da rua Ipiranga, na vila Maria Isabel, garantiu ao Jornal da Segunda que uma vizinha encontrou uma mulher com as mesmas características e roupas de Maria José no final da tarde de sábado.

Uma mulher idosa, cabelos grisalhos, trajando camisa xadrez, nas cores branca e azul, e calça jeans, teria se aproveitado que o portão do quintal estava aberto e entrou na sua residência por volta das 17 horas e pediu informações sobre um homem, que ela não recorda o nome pronunciado.

Ao ouvir a resposta negativa da moradora, a mulher saiu da casa e continuou caminhando, seguindo em direção ao Conjunto Habitacional Assis.

Somente na terça-feira, dia 27, quando ouviu notícias sobre o desaparecimento de Maria José e viu uma fotografia dela é que a moradora associou à pessoa que havia entrado em sua casa.

BUSCAS – Amigos do professor William Floter, esposo de Maria José, ao saberem dessa informação, não perderam tempo. Por volta das 20 horas de quinta-feira percorreram os bairros próximos, vasculharam casas abandonadas e perguntaram a alguns moradores das vilas Maria Isabel e Assis III se eles não tinham notado uma pessoa idosa caminhando pelas ruas nos últimos dias.

Todas as respostas, no entanto, foram negativas: “ninguém viu nada”,  lamenta um morador que participou ativamente das buscas.

Nesta sexta-feira, se o tempo permitir, um outro morador do bairro que possui um drone e ficou sensibilizado com o caso, pretende acionar o equipamento para sobrevoar uma grande área de pasto, às margens do córrego da Fortuna, e tentar encontrar algum vestígio que possa auxiliar na localização de Maria José.

Duas motocicletas sonorizadas estarão percorrendo as ruas dos bairros próximos na manhã desta sexta-feira. A mensagem da gravação pede a atenção da população para que procure se lembrar se notou a presença de alguma pessoa com as características de Maria José nos últimos dias e entre em contato com a Polícia Militar (190) ou Polícia Civil (3209-1000)

ÁGUIA – Na tarde desta quinta, dia 29, um helicóptero Águia, da Polícia Militar, sobrevoou algumas áreas em Assis para tentar localizar Maria José. As buscas, inicialmente, se concentraram nas matas atrás da Unesp e no Parque Buracão, além de alguns bairros próximos à essas áreas.

Segundo um oficial da Polícia Militar ouvido pelo Jornal da Segunda, há “equipes na busca ininterrupta, bem como a informação sobre o desaparecimento foi repassada para todos os batalhões da PM. Não temos data para cessar as buscas e estamos trocando informações, diariamente, com outras áreas, inclusive com o Estado do Paraná“, garantiu.

A Polícia Militar de toda região está empenhada! Tenho esperança que vamos localizá-la“, disse o oficial.

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais, Marcelo Armstrong Nunes, garante que a Polícia Civil não descarta nenhuma possibilidade, mas insiste para que a população dê informações que possam colaborar para chegar ao paradeiro de Maria José.

29 setembro helicoptero

Helicóptero Águia sobrevoa mata atrás da Unesp

maria josé floter

Maria José, horas antes de sair de casa

Check Also

A041 – Sepultamentos na região neste dia 17 de abril

Não há sepultamento programado para esta quarta-feira, dia 17 de abril, no Cemitério Municipal da …

Deixe uma resposta