Dia Nacional de Luta cobra respeito aos empregados da CEF

Empregados da Caixa Econômica Federal de todo o Brasil realizaram na terça-feira, dia 15, o Dia Nacional de Luta para exigir do banco mais respeito aos direitos dos trabalhadores e lutar contra a precarização das condições de trabalho. A data foi marcada por manifestações e paralisações em vários estados. Em Assis, dirigentes do Sindicato dos Bancários estiveram presentes apoiando o movimento nas agências.

A organização do dia de protestos se deu após o envio de uma Carta Aberta aos funcionários pela Contraf-CUT. O documento explica toda a estratégia de desmonte imposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer, com fechamento de unidades, descomissionamentos, ataque ao plano de Saúde Caixa, regulamentação da terceirização dentro das unidades da Caixa, o perigo de venda da Lotex (loteria) e entrega – principalmente do FGTS – para os bancos privados.
Além de reivindicar por mais respeito e melhores condições de trabalho, os funcionários disseram não às medidas que reduzem o tamanho da Caixa, diminuem empregos, prejudicam clientes e atacam o papel social da instituição. “Foi um dia muito importante para conscientizar a sociedade sobre o desmonte do banco público e dos direitos dos empregados. Temos acompanhado de perto o prejuízo que a população vem enfrentando devido a falta de funcionários. O banco não vem repondo seu quadro de pessoal, nem tem efetuado novas contratações, o que ocasiona sobrecarga aos empregados atuais”, ressalta o presidente do Sindicato, Helio Paiva Matos.

Enquanto isso em Brasília, no mesmo dia 15, durante mesa de negociação, a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE) cobrou da direção do banco que respeite os bancários, revogando uma série de medidas que os prejudicam e que resultam na diminuição da instituição e de seu papel social como banco público.

ato na CEF

Foto e texto: Ello Assessoria de Imprensa

Veja também

A132 – URGENTE – Acidente com vítima fatal no centro da cidade

Mais um acidente de trânsito com vítima fatal. Desta vez no centro de Assis, na …

Deixe uma resposta