Casal vítima de tragédia será sepultado na tarde deste domingo; velórios ocorrem em locais diferentes

Uma tragédia abalou Assis no último final de semana de 2017.

Marina José Martiniano da Silva, de 58 anos, encontrada morta em sua casa, na rua da Matriz, e seu marido Pedro Paulo Soares da Silva, de 63, acusado do crime e vítima de acidente na rodovia Miguel Jubran, estão sendo velados em locais diferentes e serão sepultados com duas horas de diferença, no Cemitério Municipal da Saudade, em Assis.

Marina José Martiniano, vítima de homicídio, está sendo velada no Velório Municipal do Complexo Prudenciana e o sepultamento está marcado para o final da tarde, às 17 horas.

O corpo de Pedro Paulo Soares da Silva, morto no acidente, está sendo velado na Catedral e será sepultado às 15h30.

Por razões a serem investigadas,  o homem de 63 anos, acusado de ter assassinado a mulher com golpes de faca, em sua residência, na vila Maria Isabel, morreu logo após o crime, num acidente registrado no km 415 da SP-333, entre Assis e Tarumã, por volta das 19h40.

A suspeita é que, descontrolado na estrada, ele teria provocado o acidente, desviando o Gol, branco, placas de Assis, para a pista contrária, batendo de frente com um veículo Peugeot, placas de São Paulo, que seguia no sentido Tarumã-Assis.

Além do motorista, que pode ter provocado o acidente, o condutor do outro carro, o jovem de 25 anos, Shylton Marconi da Silva, pastor de uma igreja evangélica em Palmital que voltava de uma pescaria, também teve morte instantânea.

O corpo, após ser submetido ao exame necroscópico no Instituto Médico Legal de Assis, foi removido para Palmital, onde será velado e sepultado na tarde deste domingo.

O passageiro acompanhante do pastor, de nome Jucivaldo, com 37 anos, morador de Assis, gravemente ferido, foi socorrido pela equipe do SAMU e levado para o NAR – Pronto Socorro Referenciado do Hospital Regional de Assis.

A equipe da Polícia Científica foi acionada para comparecer e periciar os dois locais.

Na casa onde ocorreu o homicídio, por determinação do delegado plantonista, colheu informações que podem confirmar as reais causas da morte e contribuir para confirmar a autoria do crime.

Na rodovia, o trabalho foi buscar vestígios que comprovem os motivos do acidente, embora eles pareçam evidentes.

As duas ocorrências foram registradas no Plantão Policial de Assis.

tragedia 2017

O carro conduzido por Pedro Paulo ficou destruído

Reprodução: Abordagem Notícias

 

Veja também

A206 – Dois sepultamentos em Assis neste dia 11 de julho

Há dois sepultamentos programados para esta quinta-feira, dia 11 de julho, no Cemitério Municipal da …

Deixe uma resposta