Após licitação, passagem da circular pode chegar até R$ 4,30

Quem se locomove em Assis através do transporte coletivo pode preparar o bolso.

O preço da passagem deve chegar perto dos R$ 4,30 após uma nova empresa ser contratada.

A Rápido Turismo, empresa que presta serviços atualmente, está impedida de participar do processo licitatório.

A informações sobre o preço da passagem foi dada, com exclusividade, pelo Secretário Municipal de Planejamento, Obras e Serviços, Clóvis Marcelino da Silva, em entrevista ao programa Acorda Assis, na rádio Interativa FM, na manhã desta quarta-feira, dia 10 de janeiro.

Marcelino da Silva explicou que a Prefeitura de Assis já efetuou várias notificações à direção da atual empresa sobre os problemas denunciados diariamente por usuários do transporte coletivo que acabaram se tornando rotina nas publicações em rede sociais e nos jornais da cidade.

Ele contou que, administrativa e juridicamente, o contrato já foi rompido e que todas as medidas estão sendo tomadas, mas acredita que a solução só virá com a contratação de uma nova empresa.

Nesta quinta-feira, dia 11, deverá acontecer uma audiência pública na Câmara Municipal para discutir o transporte coletivo. “Aproveitaremos a oportunidade para divulgar o novo Edital do processo licitatório a ser aberto tão logo a Câmara Municipal aprove o projeto autorizando a concessão do serviço”, disse.

Apesar de o Legislativo estar em recesso até o final de janeiro, o secretário explicou que o prefeito José Fernandes deverá pedir ao presidente Eduardo de Camargo que convoque uma Sessão Extraordinária para tratar do assunto.

Clóvis Marcelino acredita que, ‘se nada der errado’, a previsão é que o processo licitatório seja concluído até o final de fevereiro e uma nova empresa comece a operar na cidade a partir de março.

A notícia mais triste, no entanto, foi dada ao final da entrevista. Indagado pelo repórter Reinaldo Nunes se há uma estimativa sobre o valor da nova tarifa, o secretário informou que o Edital deve prever um teto no valor de R$ 4,30.

Se for esse o valor, a tarifa, que atualmente é de R$ 3,00, sofreria um reajuste superior a 40%.

Questionado para explicar como pode a tarifa em Assis custar mais caro do que o preço praticado em São Paulo, onde foi reajustado para R$ 4,00 no dia 7 de janeiro, Marcelino justificou que, diferente da capital paulista, em Assis não há subsídio público.

AUDIÊNCIA – A assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Assis expediu comunicado à imprensa para divulgar a Audiência Pública que discutirá o transporte coletivo na cidade. Eis a nota:

“O prefeito José Fernandes convida a população para Audiência Pública que acontece na quinta-feira, 11, às 19h, na Câmara Municipal, quando será apresentado o projeto que visa à concessão de transporte coletivo urbano na cidade de Assis, conforme prevê edital nº 33/2017.

Os participantes que desejarem fazer uso da palavra poderão se inscrever no próprio local até 20 minutos após início da Audiência.
José Fernandes destaca a importância da participação popular, cujo assunto em pauta tem sido tão aguardado por todos os moradores que dependem do transporte público e aguardam melhorias nesse setor.

‘Após o rompimento do contrato com a empresa Rápido Turismo, a Audiência desta quinta-feira dá início ao processo que permitirá a contratação de nova empresa através de licitação’, considera o prefeito”, diz o texto da Assessoria de imprensa.

onibus circular

A empresa Rádio Turismo deixará de operar em Assis

Veja também

A131 – Morre o sindicalista Aguinaldo Maldonado Amaral

Morreu neste sábado, dia 25 de maio, na véspera de completar 82 anos de idade, …

Deixe uma resposta